21/05/2010

Roupas Femininas » Modéstia e Comprimento

Por Melissa Bergonso

Linda, feminina e modesta! Clique e veja o modelo.
O que lhe vem à mente quando você escuta ou lê as palavras “roupas femininas”? Se você pensa em um belo vestido ou uma saia rodada e cheia de panos, aleluia! Você ainda conserva a noção de roupa completamente e exclusivamente feminina, em outras palavras, você ainda tem noção do que “é” roupa de mulher.

Quero apenas entrar em alguns detalhes sobre como se vestir modestamente com roupas femininas (exclusivamente femininas!). Conforme escrevi no artigo Moda Sexy Feminina » Espinhos da Coroa de Cristo, roupas exclusivamente femininas são as saias e os vestidos. Calças compridas não são roupas femininas, apenas ganharam espaço no guarda-roupa da “mulher moderna”. Não vou entrar em detalhes sobre isso neste artigo. Quem quiser se aprofundar mais na questão deve ler a Notificação do Cardeal Giuseppe Siri para as mulheres que vestem “roupas de homem”. Essa notificação fala sobre as ideologias por detrás da calça comprida que afetam a psicologia da mulher, entre outras coisas. 

Quem diz que a Igreja nunca se pronunciou sobre modéstia no vestir, está mentindo. Há vários documentos, cartas, discursos de Papas que fazem alusão a esse assunto. Algumas a serem citadas:


Para ver mais documentos da Igreja que falem sobre a Mulher, sua Missão, Vocação, problemas do Feminismo, clique aqui. Também nos sites Maria Santíssima e Modéstia e Maria Rosa você pode encontrar várias matérias acerca da roupa modesta feminina.

Continuando, no artigo Moda Sexy Feminina » Espinhos da Coroa de Cristo eu mencionei duas regrinhas básicas para a compra de roupas modestas:

1) Roupas verdadeiramente modestas devem cobrir nossa pele e esconder nossa forma.

2) Roupas femininas DEVEM SER FEMININAS, observando sempre a regra número 1.

Gostaria de acrescentar mais uma regrinha:

3) Roupas modestas femininas devem proporcionar total liberdade de movimento sem expor as partes íntimas do corpo 
aos olhares alheios.

O que eu quero ressaltar aqui é a questão da modéstia para a escolha do comprimento das saias e vestidos, mangas, e também, decote de blusas.

Volto a dizer, a modéstia não tem nada a ver com “vestir burca” ou algo parecido. Quem diz isso como desculpa esfarrapada para “ficar na moda” ou para justificar certos tipos de trajes, ou ainda pior, para incentivar, inocentar e normalizar certos tipos de roupas, é porque é com certeza ignorante, e no pior dos casos, hipócrita.

Ser modesto(a) é querer e, principalmente, primar por guardar sua pureza e seu corpo dos olhares alheios e ser exemplo de virtude e de respeito
.


A roupa indica sim o grau de respeito que uma pessoa quer para si. Isso não é teoria, isso é visto na prática. O que inspira mais respeito e recato: uma mulher com roupas simples e modestas, que recobrem seu corpo sem revelar sua forma, ou outra com roupas justas e coladas, exibindo tudo o que tem direito? Uma mulher de saia longa, comportada, ou outra de calça legging? Qual demonstra mais recato e pudor? Imagine, pense e compare. Se você acha que vestida com roupas curtas, apertadas, justas, coladas, super fashion, da moda atual, vai obter respeito por onde passe, você está se iludindo. Preocupe-se se, ao sair na rua, você recebe cantadas e elogios grotescos. Isso, na maioria das vezes, é sinal que você não está modestamente vestida, porque ao contrário do que a gente ouve por aí que “o que é bonito é para ser mostrado”, na realidade, o que é belo é para ficar escondido, guardado, e somente ser mostrado e entregue para quem tem a legítima posse: a mulher casada para o marido; a solteira para Deus.


Se quiser fazer uma experiência, vista-se como dita o mundo e a moda, com “roupinhas super fashion”, curtas, justas, coladas e com falta de tecidos, saia na rua e espere por “respeito”. Afirmo para você que respeito é algo que uma mulher nunca terá vestida com uma roupa “sensual”, “da moda”, que causa indignação aos céus, pois é feita para seduzir. Você pode até obter admiração por seus “dotes” femininos (que ficarão à mostra), mas não respeito por ser mulher, por ser receptáculo da vida, por ser o reflexo da Virgem Santíssima. O maior respeito que uma mulher pode ter é ser vista sim como “algo intocável”, algo puro, de beleza e porte angélico e por fim, ser vista como reflexo da Virgem Santíssima. Por que eu enfoco o “reflexo da Virgem Santíssima”? Porque Ela sim é Modelo Supremo de Feminilidade e Perfeição Feminina. Quer ser agradável a Deus? Seja como Maria! Em tudo e em todo lugar!

Para fazer uma análise dos comprimentos adequados de roupas femininas, vamos partir do seguinte princípio, da seguinte regra sobre o que constitui a modéstia no vestir, dita pelo Prefeito da Congregação do Concílio, Cardeal Donato Sbaretti, em 1930:

“Um vestido não pode ser chamado decente se é cortado na largura de mais de dois dedos sob o poço da garganta, que não cubra os braços pelo menos até os cotovelos, e mal chegue até um pouco abaixo dos joelhos. Além disso, os vestidos de materiais transparentes são impróprios.”

Não dá para negar que quanto mais uma roupa se aproxima dessa “regra” mais ela é modesta, não é mesmo? Neste sentido, afirmo que:

Quanto mais as características de uma roupa forem semelhantes às da regra ditada pelo Cardeal Donato Sbaretti, mais perto ela está da modéstia de Nossa Senhora.

Isso não é exagero. Qualquer figura, imagem ou representação de Nossa Senhora, e até mesmo de acordo com alguns videntes, como os pastorinhos de Fátima, Ela SEMPRE está de vestido longo, véu, corpo coberto, sempre delicada, grave, serena. Não estou dizendo para sair por aí de véu, com burca ou coisa parecida, mas de assemelhar-se, na medida do possível, à aparência e porte da Virgem Santíssima. Isso não é pedir demais. Aliás, isso é o mínimo e o começo que nós, Mulheres Católicas, podemos fazer para agradar mais a Deus. Um belo começo, para bem dizer. É pela imitação da Virgem Santíssima que nos assemelhamos mais a Jesus Cristo. Dois ótimos livros para serem lidos que ajudam a entender esse princípio são: “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria”, de São Luís Maria Grignion de Montfort, e “Glórias de Maria”, de Santo Afonso Maria de Ligório. 

“[...] Maria Santíssima, embora cheia da divina graça, foi mortificadíssima nos olhos. Trazia-os sempre baixos e nunca os fixava em pessoa alguma, como referem o Pseudo-Eipfânio e São João Damasceno. E acentuam que, desde pequenina, causava admiração a todos por sua modéstia. Por isso foi apressadamente em visita a Isabel (Lc 1,39), para ser menos vista em público. [...] (LIGÓRIO, Santo Afonso Maria de. Glórias de Maria. Aparecida-SP: Editora Santuário, 3ª. ed., 1989, p.430)

Agora vamos pensar um pouco: Por que o comprimento de vestidos abaixo do joelho são mais modestos? Por que decotes até dois dedos do poço da garganta são mais modestos? Por que mangas até os cotovelos são mais modestas? Eu digo que a resposta, em primeiro lugar, está vinculada à ordem prática das coisas: nos nossos movimentos do dia-a-dia. Em segundo lugar, mas não menos importante, está vinculada à singularidade da figura humana: a nossa face.

A roupa e o dia-a-dia


A roupa, para qualquer pessoa, tem três razões: higiene, decência e adorno, e duas funçõesornamentação e proteção. Nossas vestimentas devem não só nos deixar bem apresentáveis, mas também proteger-nos de situações embaraçosas. Vou citar alguns exemplos:

Imagine-se nessa situação: você está andando na rua, e de repente bate aquele vento. Uma saia na altura do joelho, rodadinha, provavelmente vai levantar com a força do vento, porque o comprimento e a quantidade de tecido não é suficiente para que a saia tenha peso e não levante. Uma saia na altura da canela dificilmente será erguida pelo vento pelo fato de que ela é mais pesada por ser mais longa. Outro exemplo: você está numa roda de amigos, homens e mulheres, e todos sentam-se em cadeiras no lugar onde estão. Se sua saia é na altura dos joelhos, provavelmente ela vai ficar acima dos joelhos quando você se sentar, e isso vai causar desconforto para você (a menos que você não ligue de ficar mostrando tudo o que tem por baixo). Fatalmente você ficará arrumando a saia, puxando ela até os joelhos, dobrando-se e retorcendo-se para que “nada apareça”. Uma saia pela canela jamais lhe dará esse tipo de mal-estar, “preocupação” e desconforto. Um outro exemplo de experiência própria: Uma certa vez eu estava com uma saia na altura dos joelhos, em corte viés, de algodão e usando minha meia-calça de malha fio 80 porque estava bastante frio aquele dia, era inverno. Saí de casa em cima da hora e fui à pé pra faculdade. O problema é que a meia de lã enroscava na saia de algodão e mesmo vestindo uma anágua a bendita da saia começou a subir e enrolar na meia. Foi um “Deus nos acuda” até eu chegar na faculdade, tive que ficar segurando a saia o tempo todo enquanto andava. Se ela fosse mais longa, isso não teria acontecido. Obviamente, “aposentei” a saia.

Agora uma situação de decotes: você está vestindo aquela blusa com um baita decotão, ou nem precisa ser tão grande assim, está numa reunião e precisa assinar uma ata ou qualquer coisa parecida, você está em pé e a folha está numa mesa e a pessoa que está tomando conta da lista é um homem. Você tem que se abaixar para assinar. Fatalmente, seu “lindo decotinho” vai deixar à mostra seus seios (isso quando não mostra também o umbigo) e é óbvio que o cara vai olhar, a menos que ele seja cego (duvido!). Um decote que não ultrapasse dois dedos do poço da garganta não vai lhe causar nunca esse inconveniente, mesmo se você ficar de ponta cabeça!

Quanto à manga, essa não foge à regra, também é para resguardo e recato. Blusas cavadas, de alças, mostram pele, forma, isso quando não mostram o sutiã, partes dos seios e outras coisas mais. Em questão de movimento, a manga um pouco mais comprida também protege. Você pode levantar os braços, fazer mil movimentos que a roupa não vai sair do lugar ou cair, como acontece com blusas e vestidos de alças; estas têm que ser arrumadas ou seguradas, dependendo do movimento que se faz, para que seu tórax inteiro (do colo ao umbigo) não fique à mostra em 3 segundos. Já as blusas e os vestidos cavados mostram partes do sutiã, dependendo como você levanta ou mexe os braços. Uma manga mais comprida, além de dar um ar de elegância e recato, também dá liberdade aos movimentos dos braços e deixa a mulher muito mais respeitosa, singela, e digna de ser tratada com todo o respeito possível e delicadeza.

Esta semana estive refletindo muito mesmo sobre esta questão do comprimento de mangas, até porque eu não tenho o costume de usá-las tão compridas assim. E parece demais pedir que uma manga de blusa ou vestido alcance no mínimo o cotovelo. Realmente, para os padrões que a moda de hoje dita e impõe, parece mesmo um absurdo, um exagero. Mas, não podemos nos esquecer que nosso maior modelo de perfeição de modéstia no vestir é Nossa Senhora. Para agradar mais a Deus, não vale a pena se sacrificar um pouco mais? - isto serve para mim também -. Quanto mais o comprimento de nossas roupas forem semelhantes ao comprimento das roupas de Nossa Senhora, mais perto da perfeição da modéstia estamos chegando. Uma roupa verdadeiramente modesta cobre pele e forma, não marca o corpo, nem a roupa íntima. Infelizmente, hoje, além da roupa íntima ficar marcada, as pessoas ainda fazem questão de mostrá-la aos outros, como alças de sutiã, cós de cueca e calcinha etc. sob o pretexto que isso é moderno, sensual, bonito, fino (?) e elegante (?). Lastimavelmente, isso comprova o quão baixo o ser humano já desceu em sua decência, modéstia e sobriedade espiritual.


Devemos sempre buscar vestir-nos como a Virgem Santíssima, esforçando-nos ao máximo para nos vestirmos tão modestamente como Ela, assemelhando-nos, na medida do possível, à Sua aparência e porte, sem medo do pudor e do recato. A nossa preocupação e meta deve ser sempre alcançar a perfeição, por mais difícil e desafiante que possa parecer.


Cobrir o corpo e revelar a face


Falei um pouco sobre quanto uma roupa modesta pode nos proteger de situações embaraçosas por causa dos movimentos que fazemos no dia-a-dia. A roupa como proteção e resguardo, em relação ao movimento, é comprovada.


Vamos analisar agora um outro aspecto, que ainda está ligado à roupa e à forma de nos vestirmos e que tem relação direta com esta seguinte pergunta: Quando nosso corpo é coberto, o que sobra de mais nobre em nós?


A importância de usar roupas modestas é justamente deixar a nossa singularidade de expressão máxima como figura humana aparecer e sobressair ao resto do corpo: a face. A face pode revelar tudo de uma pessoa, desde seu mau humor até sua santidade. É na face que se encontra nossa boca, que verbaliza o que pensamos e sentimos; na face se encontram nossos olhos, que são a “janela da nossa alma”; é a face que nos identifica individualmente, pois reconhecemos o outro, visualmente, por seus traços faciais. O rosto deve ser a parte procurada quando olhamos para alguém. Hoje o rosto é a parte que menos importa, porque outras partes estão tão expostas que a face já não tem mais atrativos. Neste sentido, a modéstia colabora com a virtude da pureza, nos levando a ela, porque valoriza o que nos identifica individualmente e como ser humano, e porque nos ajuda a valorizar a pessoa como indivíduo e filho(a) de Deus, olhando para sua alma e coração através dos olhos e da face, ao invés de olhar somente para o seu corpo e atributos secundários modelados por roupas justas, curtas, decotadas e transparentes com a justificativa de serem roupas da moda, porém que não santificam, mas detonam com a alma de quem vê e de quem expõe.


Muitas pessoas podem até dizer: “Mas Deus vê o coração”. Sim, Deus vê o coração. Acontece que nós exteriorizamos o nosso interior pelo modo de falar, pensar, agir, se portar e se vestir. Se o exterior está decaído e corrompido, quanto mais o interior... Sim, Deus vê o coração...

Alguns também dizem: “A maldade está nos olhos de quem vê”. E eu digo: ela também está nas mãos de quem atira. A arma só dispara se você aperta o gatilho. Geralmente, quem atira, não se fere, mas quem recebe o tiro às vezes é ferido de morte. A roupa imodesta é o gatilho para o pecado. Você vestiu, você contribuiu... e no pior dos casos, você “matou”. 


Nossa roupa diz muito sobre nós. Alguém pode dizer: “O hábito não faz o monge”. Realmente o hábito não faz o monge, mas o ajuda a viver seus votos de pobreza, castidade e obediência porque o faz lembrar constantemente que ele é consagrado a Deus. Nossa roupa deve fazer o mesmo efeito em nós, fazer-nos sempre lembrar que nós pertencemos a Deus, e não ao mundo.


Para terminar gostaria de dizer uma coisa: Querendo ou não, a modéstia é o sinal do caminho para a perfeição, da moderação dos sentidos para o alcance da pureza.

Puras e singelas como Maria Santíssima, a Rainha da Pureza e da Modéstia!

Ave Maria, Gratia plena, Dominus tecum!

--**--**--**--
PALAVRAS COMPLEMENTARES

Para aqueles(as) que rejeitam a Moral Cristã Católica e querendo se adequar ao mundo justificam sua forma de se vestir, ser e agir dizendo que a Igreja ditou certas “regras” para uma determinada época no tempo, de acordo com uma cultura de momento e local, aqui vão algumas palavras que Jacinta Marto, pastorinha de Fátima, aos tênues 10 anos de idade disse:

“Os pecados que levam mais almas para o Inferno são os pecados da carne. Hão de vir umas modas que hão de ofender muito a Nosso Senhor. As pessoas que servem a Deus não devem andar com a moda. A Igreja não tem modas. Nosso Senhor é sempre o mesmo”.

Recapitulando:

AS PESSOAS QUE SERVEM A DEUS NÃO DEVEM ANDAR COM A MODA. 

A IGREJA NÃO TEM MODAS, NOSSO SENHOR É SEMPRE O MESMO!

--**--**--**--
PALAVRAS DE INDIGNAÇÃO

Para aquelas mulheres que se dizem católicas mas pensam com a mentalidade do mundo, digo:

1) Não me venha com essa frase de que “uma saia curta, da moda, fica modesta se você a usa com meia-calça grossa fio 80 ou meia escura”...

Isso pra mim é hipocrisia. H-I-P-O-C-R-I-S-I-A!

Não existe modéstia com roupas imodestas. Se uma das peças não é modesta sem a bendita da meia, o look jamais ficará modesto com meias grossas, escuras ou seja lá como for, pela justa razão de que deixará a forma feminina exposta (contorno de pernas e coxas) e convenhamos, não dá pra “tapar o sol com a peneira”! AS PESSOAS QUE SERVEM A DEUS NÃO DEVEM ANDAR COM A MODA!

2) Não me venha com essa de que a Igreja se manifestou para uma determinada época e local, que os tempos mudam, o mundo “se moderniza” e portanto a Igreja deve “se modernizar” e entrar na onda do mundo também. A IGREJA NÃO TEM MODAS!

3) A Igreja Católica Apostólica Romana é a Igreja de Cristo! e Deus não evolui, não se moderniza, porque DEUS É... Deus é o mesmo ONTEM, HOJE e SEMPRE. Por isso Ele diz: EU SOU. E ai daquele que tirar um “J” do que Ele ensinou... A Palavra de Deus não muda jamais! NOSSO SENHOR É SEMPRE O MESMO!


--**--**--**--
LINKS PARA VISITAR

A Thaís dos Santos Domingues escreveu um artigo muito bom falando da questão das roupas em relação ao movimento do corpo e do decoro feminino. A parte em que ela comenta sobre os braços é muito interessante. Recomendo a leitura. O título é: “Sobre a utilidade das regras”.

Gostaria também de indicar alguns modelitos de saias pela canela e de saias longas, postados no Blog Maria Rosa, da minha amiga Andrea. São super elegantes e maravilhosamente femininas! Servem de inspiração! Ah, aqui tem algumas blusinhas super lindas e elegantes! Quem disse que não dá para ficar linda, elegante e maravilhosamente feminina com roupas modestas???

Santa Jacinta, Rogai por nós!

Que as mulheres desejem aprender a serem santas, a serem modestas e a serem como a Virgem Santíssima!

Maria, Rainha da Pureza e da Modéstia, Rogai por nós!


Leitura Complementar:

61 comentários:

  1. Nossa Senhora era consagrada, nascida sem pecado, viveu sem pecado.
    Não somos consagradas, não somos freiras. Vivemos num mundo secular.
    Por isso, como católica uso calças sim, assim com Santa Gianna tb usou e alcançou o céu. Será q ela pecou a vida toda contra a modéstia por usar calças?

    ResponderExcluir
  2. Realmente depois de começar a usar saia e vestido, chega-se a conclusão que a calça deve ser dispensada.
    ******************
    O que n deve ser dispensado é o véu, e n se usa véu só em Missa, entrou na igreja para adoração, batizado deve usar veú.

    NO batizado do meu filho, ainda n tinha conhecido a Fernanda Severo, ela me ensinou sobre véu, assim n teria pago uma de imodesta sem véu no batizado do meu filho.

    ResponderExcluir
  3. "Corajosa" anônima:
    Santa Gianna foi mártir . Ela não era perfeita, ninguém é. Todos nós somos cheios de pecados, pois ninguém é salvo por merecimento e justiça, mas sim por misericórdia. Santa Maria Madalena foi prostituta, devemos imitá-la? Pra que ser tão desonesta na argumentação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Melissa, só uma pergunta a nível de informação mesmo.
      Santa Maria Madalena foi mesmo prostituta? Já li em alguns sites católicos que na verdade foi uma confusão no evangelho de são Lucas, entre a pecadora que lavou os pés de Jesus com lágrimas e a Maria de Magdala (Madalena) que Jesus expulsou sete demônios. Li também em alguns sites protestantes que no século VII interpretaram erroneamente esta questão e em 1969 o Vaticano declarou que a Santa não era uma prostituta.
      Você sabe alguma coisa a respeito?

      Parabéns pelo blog, é encantador!

      Fica com Deus!

      Excluir
    2. Olá, Salve Maria!

      Eu dei uma pesquisada em alguns materiais que tenho e os textos que li referenciam Santa Maria Madalena como sendo uma pecadora pública. Assim, seu pecado era de conhecimento de todos, e ela não era uma pessoa bem quista na sociedade por causa disso.

      No Missal Quotidiano que tenho (D. Beda Keckeisen O.S.B., p.952), no dia da Festa de Santa Madalena, comemorada em 22 de Julho, está escrito o seguinte:

      “Porque muito amou, muito lhe foi perdoado”, é o resumo de sua vida. A liturgia identifica Maria Madalena como Maria de Betânia, irmã de Lázaro e de Marta, que ungiu os pés de Jesus (Oração), com a pecadora pública (Evangelho: Lucas 7, 36-50) e ainda com aquela Maria que primeiro viu o Ressuscitado (Epístola: Cânticos 3, 2-5; 8,6-7). Reza-se hoje o Credo por este motivo. Lendas antigas dizem que ela morreu no sul da França.

      A Oração da Missa do dia 22 de julho diz o seguinte: “Nós Vos suplicamos, Senhor, sejamos auxiliados pelas orações de Santa Maria Madalena, cujos rogos obtiveram de Vós a ressurreição de Lázaro, seu irmão, depois de quatro dias de enterrado. Vós, que, sendo Deus, viveis e reinais...”.

      Já o Evangelho fala de Santa Maria Madalena como sendo “uma mulher que era pecadora na cidade”, que, chorando, lavou os pés de Jesus com bálsamo, enxugando-os com os próprios cabelos. E o fariseu, duvidando de Jesus, pensa o seguinte sobre ela: “Se este homem fosse o Profeta, saberia certamente quem é, e de que classe é a mulher que O toca, pois é uma pecadora”.

      A Epístola do dia faz referência à ela, que procurava o Senhor e encontrou-O depois de sua ressurreição. “Levantar-me-ei e andarei pela cidade; pelas ruas e praças procurarei aquele que a minha alma ama; e o procurei e não o encontrei. Encontraram-me as sentinelas que guardam a cidade [eu lhes disse:] Não vistes, por acaso, aquele que amo? Quando eu passei por eles, mais adiante, encontrei-me com aquele que é o amado de minha alma. [...].”

      Santo Afonso de Ligório, em sua meditação da Festa de Santa Maria Madalena, também diz algumas coisas que corroboram este texto do Missal:

      “[...] Madalena não se chega à cabeça mas aos pés de Jesus, pois tendo andado até então no caminho do vício, procurou reaviar-se para andar no caminho da virtude. Mais, vendo-se tão asquerosa pelos seus pecados impuros, nem sequer se atreveu a colocar-se diante do Senhor, mas deixou-se ficar atrás: «Pondo-se, por detrás, aos seus pés». [...], ali não fez outra coisa senão oferecer a Deus aquilo mesmo de que outrora tinha feito tão torpe abuso; serviu-se para sua emenda daquele mesmo de que se servira para a sua perdição. Os seus olhos serviram-lhe para olhar objetos mundanos, e agora castiga-os com lágrimas de penitência. Servira-se do cabelo para adorno de sedução, agora enxuga com eles os pés do Salvador, regados com as suas lágrimas. Seus lábios proferiram muitas palavras indecentes; agora não se cansa de beijar os pés do Senhor. Antes servira-se dos aromas para o vício, agora serve-se deles para embalsamar o corpo de Jesus Cristo”.

      Com relação aos sites protestantes, aconselho a você não procurar tais referências, pois, além de você se deparar com heresias, pode haver muitos fatos históricos distorcidos neles.

      Espero que eu tenha lhe ajudado.

      Obrigada!!

      Fica com Deus!

      Excluir
  4. Melissa, muito bom! Realmente enquanto nós não nos dermos conta de que Maria Santíssima é o nosso modelo perfeito de modéstia, não conseguiremos caminhar nesta direção!

    Essas coisas práticas precisam mesmo ser ditas! Muito bom que você tenha feito isso neste post! Gracias!

    Outro dia eu estava no ônibus e ouvi uma conversa de um grupo de amigos onde eles zombavam de uma moça que no escritório usava uma blusa com algum decote e quando abaixava dava para ver até o umbigo dela! Veja só como são as coisas!

    E sim: a face! Como é importante que nosso rosto sobressaia1 Que os nossos olhos falem a beleza da alma resgatada pelo sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, lavada no batismo! Isso é lindo!

    Michele, bem lembrado! As pessoas ficam brandindo o nome de Santa Gianna como se nós todas agora tivéssemos que nos pautar por tudo o que uma pessoa que foi canonizada fez na vida! Ora, se fosse assim seria o caos! Afinal de contas santos são pessoas como nós, com defeitos e virtudes e somente Nossa Senhora e Nosso Senhor nunca pecaram! Imagine agora os rapazes dizendo que vão se amasiar porque Santo Agostinho viveu amasiado, teve filho sem ser casado... ora por favor! Cadê a honestidade?

    Nossa Senhora, Rainha da Modéstia, rogai por nós!

    Abraço e Paz!

    ResponderExcluir
  5. Senhora "Anônima"...

    Em primeiro lugar gostaria de lamentar suas palavras sobre Nossa Senhora. Aquela que deu a vida ao Salvador do mundo merecia mais respeito, admiração e devoção de uma pessoa que se diz “católica”. É lamentável como pessoas como você apelam para essa afirmação falsa de que “é impossível imitar Nossa Senhora pela razão de que Ela não tinha pecados e viveu sem cometer pecado algum”. Neste sentido, você chama a Jesus de hipócrita, porque Ele, que é Deus e Senhor disse: “Sede perfeitos, assim como vosso Pai Celeste é Perfeito” (Mat. 5, 48). Só por estas palavras ditas pelo próprio Cristo, você não deveria JAMAIS ter ojeriza à imitação da Virgem Santíssima. A imitação da Virgem Santíssima é a via mais fácil para se chegar à perfeição que Nosso Senhor deseja de nós.

    Em segundo lugar gostaria de dizer que sim, vivemos num mundo secular, porém não somos deste mundo (Jo. 17, 14-19). Quem anda com o mundo fatalmente perece com ele.

    Em terceiro lugar, a canonização de uma pessoa não implica que ela era 100% perfeita enquanto viveu, pois, enquanto viveu foi tão pecadora e mortal como qualquer um de nós e estava sujeita a incorrer em erros e pecados, como nós estamos. Diga-me uma coisa, falar palavrão é ou não é moralmente lícito? É ou não pecado? São Paulo nos diz para nos abstermos de palavras torpes (Col. 3, 8). No entanto, São Thomas Morus xingava os hereges com palavrões. Contudo, não me é lícito imitá-lo neste ponto só porque ele foi canonizado. A canonização dele se deu porque ele optou 100% pela submissão a Deus ao invés de desobedecê-Lo em favor dos desejos do Rei Henrique VIII.

    O que eu sei é que a santidade implica em uma vida virtuosa. A virtude implica numa vida de renúncias e sacrifícios para buscar a perfeição. Todas as pessoas que foram canonizadas fizeram essa busca com sinceridade de coração, umas com mais afinco e desprendimento que outras, por isso é que há graus de perfeição, e por isso há lugares diferenciados no céu.

    A busca de justificações embasadas em determinadas peculiaridades da vida de um santo que não são categorizadas como virtuosas é covardia. Como disse, uma vida virtuosa requer renúncias e sacrifícios. Se eu sei que algo que me desagrada é agradável a Deus, por temor e amor a Ele eu deveria fazer esse sacrifício desagradando-me a mim para agradar Nosso Senhor. Da mesma forma, quando eu sei que algo que estou fazendo ou usando, como certos tipos de roupas, pode ser causa de queda ou de pecado para meu próximo eu DEVO RENUNCIAR. Como disse o Papa Pio XII em sua Alocução sobre a Cruzada pela Pureza: “Algumas jovens dirão talvez que uma determinada forma de vestuário é mais cômoda, e também mais higiênica; mas, se constitui para a saúde da alma um perigo grave e próximo, não é certamente higiênica para o espírito: tem-se o dever de renunciar. A salvação da alma fez heroínas mártires como Inês e Cecília, em meio dos tormentos e lacerações de seus corpos virginais: e não irão vocês, suas irmãs na fé, no amor de Cristo, na estima para virtude, encontrar no fundo de seus corações a coragem e força para sacrificar um pouco do bem-estar - uma vantagem física, se vocês preferem - para conservar segura e pura a vida de suas almas?”

    Se você acha que usando calça está sendo modelo de modéstia e virtude, paciência. Eu, particularmente, nunca ouvi alguém receber um elogio de modéstia por estar usando calça. Com saias, esse elogio é muito freqüente. Não digo que a calça será empecilho para uma pessoa alcançar o céu, porém, será muito mais heróica a conquista do céu através da imitação da Santa Mãe de Deus em sua pureza, modéstia e santidade.

    ResponderExcluir
  6. Salve Maria.

    Prezada Melissa,
    gostaria de deixar apenas uma observação:

    Você diz:

    "Não digo que a calça será empecilho para uma pessoa alcançar o céu..."

    Apontemos dois fatos que o uso da calça pelas mulheres ocasiona:

    1º - Falta contra a modéstia;
    2º - Facilita a igualdade entre os sexos.

    1º Falta contra a modéstia - Acredito que não haja necessidade de expandir mais o assunto, você bem o abordou. Se a mulher sabe que suas vestimentas são imodestas, e que ela é modtivo de pecado para o próximo e mesmo assim, não muda seus hábitos, ela pode sim, NÃO alcançar o céu.

    2º - Facilita a igualdade entre os sexos - fato um pouco esquecido, porém, com uma grande importância. O uso de calças por mulheres, é uma MODA recente - mais ou menos no fim do século XVIII - e que teve grande divulgação entre as feministas comunistas.
    A calça para mulheres facilitava o trabalho fora do lar, em indústrias. Nessa época explodiram em todos os cantos do mundo, revoluções feministas, por busca de igualdade e "direitos feministas". Uma série de literaturas contra a "mulher antiga" foi lançada na sociedade, levantando a bandeira da "emancipação feminina", resultado: lares vazios, casamentos destruídos e número de filhos reduzido... é claro, como 2+2=4.

    . Lares vazios - a competividade com o homem no mercado de trabalho é grande, muitos cursos, viagens de negócio, reuniões e o lar que deveria ser o lugar de uma mulher casada, o seu trono como diz o Papa Pio XII, se torna frio, solitário, sem calor maternal.

    . Casamentos destruídos - como um jogo de dominó, uma peça cai e as outras vão junto, lar sem presença da mulher, sem as atenções e delicadezas próprias de sua natureza, onde a mulher se recusa ou cumpri sem dedicação suas obrigações como dona de casa e como mãe... isso causa um grande "trinco" no casamento. Recomendo a leitura do livro: O divórcio, do Pe. Leonel Franca.

    . Número de filhos reduzidos - A missão dos pais no Matrimônio não é apenas ter os filhos, mas também educá-los cristãmente, de forma que se tornem os melhores católicos possíveis. O papel de educador apesar de ser tarefa de ambos, cabe principalmente a mãe, pois foi à mulher que Deus deu os talentos de: delicadeza, percepção, criatividade, etc., atrativos que muitas vezes faltam aos homens. E são justamente esses talentos que a criança precisa nos primeiros anos de sua educação física, moral, intelectual e espiritual. Ao pai que estará mais ausente (pois a ele cabe o dever de alimentar a família), cabe o dever de complementar a educação dada pela mãe e corrigir.

    Se a mãe está ausente do lar, como educa-los-á? E para não perder a competividade no mercado de trabalho (pois as empresas visam muito isso na hora da entrevista - quantidade de filhos), as mulheres "modernas" optam (como se pudessem) por não terem mais filhos.

    Aqui abro parênteses para casos de extrema necessidade, onde a mulher realmente precise trabalhar fora, para sobrevivência própria e dos filhos, onde o marido está desempregado ou seu salário realmente não supre as despesas ORDINÁRIAS. Porém mesmo nesses casos, onde a mulher por uma força maior é impulsionada para fora do lar por força maior, ela não está desobrigada de suas tarefas de dona-de-casa, mãe-educadora e de esposa. Uma mulher católica se desdobrará para fazer suas obrigações, mesmo a custa de sangue.

    Talves pareça que eu tenha perdido o foco - calça por mulheres - mas não, Deus fez o homem e a mulher com desigualdades, e a igualdade entre entre os sexos é algo contrário a lei de Deus, mesmo que essa busca por igualdade seja vestimentas, quem sabe disso e não muda seus hábitos, pode sim, NÃO alcançar o céu.

    Sem mais.

    ResponderExcluir
  7. Prezado "Anônimo", Salve Maria.

    Obrigada por seu comentário. Em meio à discussão esqueci de completar meu raciocínio. Seu comentário foi muito pertinente, disse coisas importantes sobre a "mulher moderna" e a "busca de igualdade entre os sexos".

    Reiterando meu raciocínio, realmente, se a mulher que sabe com consciência e, não mais sendo ignorante, conhece o mal que essa peça de roupa (a calça) pode ocasionar e, ignorando esses fatos, continua usando essa vestimenta, ela pode sim não alcançar o céu, pois será responsável pela queda daqueles que, por causa dela e de seu exemplo nefando, caíram.

    ResponderExcluir
  8. Olá Me,
    MUITO BOM o texto, adorei!!!
    Há mais documentos que tratam do vestir do que eu imaginava!!! Que bom poder conhecê-los através de seu blog :)
    Pelo que eu me lembre, eu só tinha lido a Notificação do Cardeal Siri e alguns textos de padres, e não de Papas.
    Que Deus continue te abençoando para que nós continuemos a "usufluir (ou usufruir? aff, tô precisando de umas aulas de português!!! rsrs)" deste belo blog (hehehe. tô te explorando... rsrsr)

    Em Jesus e Maria,
    Patrícia R Maia

    ResponderExcluir
  9. Oi, Patrícia!! Então, Pio XII escreveu muitas coisas sobre modéstia no vestir. Há coisas muito interessantes. Provavelmente existem mais materiais, que ainda desconheço, mas assim que souber, coloco na página de Textos Importantes!

    Fico feliz que esteja gostando do conteúdo do blog! Estou me esforçando para colocar coisas que ajudem e incentivem as mulheres a buscarem o exemplo de Maria Santíssima na modéstia, no pudor, na castidade, na virgindade, no amor a Deus, entre outras coisas. A gente sabe que viver no mundo não é fácil, sempre vamos lutar contra a corrente por tentar imitar a Santa Mãe de Deus e por querer fazer a vontade de Nosso Senhor, mas é assim mesmo. E que tudo seja para a Glória de Deus!

    Beijos e obrigada por visitar o blog!!
    Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  10. UAU!! isto ta movimentado!!

    E curioso a maneira na qual as pessoas gostam de seguir os Santos:)

    Santa Gianna por exemplo deu a vida por amor a Jesus!! Morreu dizendo te amo Jesus!!
    E algumas nao conseguem nem largar as roupas rsrsr acho que deveria chorar e nao rir,ne?
    Jesus have mercy on us!

    ResponderExcluir
  11. KKK... Pois é Fer... que bom que está movimentado por aqui, é sinal de que as pessoas estão lendo, nem todos gostam, mas que fazer?

    Não há como agradar gregos e troianos, mas o que realmente importa é agradar a Jesus Cristo, e a mais ninguém! Azar de quem não gosta de conhecer aquilo que nos leva à Verdade, porque o caminho que nos leva à Verdade nos leva também ao Céu!

    Quanto às roupas, ó Jesus... não adianta. Quem gosta de calça vai insistir nisso eternamente, a menos que receba uma "graça especial" do céu para entender que esses modernismos nas vestimentas de hoje não agradam a Deus.

    Com relação ao uso da calça, só é, digamos, "permitida" em determinados casos quando é necessário à mulher devido ao tipo de trabalho que ela exerce, por exemplo, uma engenheira, que anda em meio às máquinas. (só explicando: essa "permissão" não é regra, ao contrário, é exceção!). Porém, isso não exclui a calça de ser bem folgada para não marcar as formas femininas. Este tipo de calça não tem nada a ver com as "calças femininas" que existem por aí, que literalmente mostram toda a forma da mulher, quadril, bumbum, coxa e assim vai... A calça de corte "feminino" não é modesta, é sensual, ela é feita exatamente para chamar a atenção para as curvas corporais da mulher. Pobres mulheres que, achando que estão na moda, estão é ofendendo Nosso Senhor, estão atraindo olhos para si, para seu corpo.

    Espero realmente que as mulheres, especialmente as católicas, compreendam o valor da Pureza e o que ela significa em termos de corpo, alma e pensamentos para qualquer pessoa, em qualquer ocasião e em qualquer estado de vida. Só quem busca amar verdadeiramente Nosso Senhor procura conhecer e entender como certas coisas O ofendem tanto, e procura mudar seus hábitos de vida.

    Repito suas palavras, Fer!
    Jesus, have mercy on us!!!!

    ResponderExcluir
  12. Interessante essas matérias sobre vestimentas..! Acho que independente de religião no ambiente profissional devemos ser discretas e usar peças que valorizem o nosso biotipo. As camisetes e saias tipo secretária são bem femininas, combinado com um sapato tipo scarpin, cria um look moderno e discreto.
    Seria interessante indicar modelos de roupas discretas para a prática de atividade física (uma calça bailarina e T-shirt por exemplo), roupa de banho (maios ou biquinis mais discretos)
    E para todas as mulheres casadas,aconselho sempre investir em roupas íntimas bonitas e confortáveis, para sempre arrancar elogios dos respectivos maridos.

    Bjus

    ResponderExcluir
  13. Prezada Agatha, Salve Maria.

    A questão das vestimentas femininas é muito mais complexa do que simplesmente "valorizar o biotipo" ou "criar looks modernos e discretos".

    Nós devemos ter muito cuidado ao querer se utilizar desses modismos que o mundo prega, como você mesma citou: "valorizar biotipos femininos", "criar looks modernos e discretos".

    A valorização de biotipos e criação de looks fatalmente segue a moda da sensualidade, e essa realmente não é a moda que uma mulher cristã deve procurar. Biotipos, looks modernos, etc. somem quando nós buscamos nos adequar àquilo que agrada a Deus, e não a nós mesmas, na questão das vestimentas.

    Sobre as roupas para atividades físicas, na carta do Cardeal Sbaretti, sobre a Moda Indecente Feminina, o mesmo aconselha que:

    "Que os pais mantenham suas filhas longe do público de jogos e competições de ginástica, mas se as suas filhas são obrigadas a freqüentar essas exposições, deixá-los ver que elas estejam totalmente e modestamente vestidas. Que eles nunca permitam que suas filhas usem trajes indecentes".

    Trajes considerados indecentes são aqueles que revelam pele e forma feminina, portanto, calças bailarinas, T-shirts, e tudo o que cola no corpo não são vestimentas pertencentes à modéstia cristã. Se uma mulher quer praticar atividade física que o faça modestamente vestida, e longe do sexo oposto para evitar situações constrangedoras.

    Sobre roupas de praia, ainda não escrevi sobre isso, mas há outros sites onde a senhora pode procurar ler sobre isso, como o http://www.modaemodestia.com.br e o http://rosamulher.wordpress.com . Só resumindo, biquínis e maiôs NÃO SÃO modestos em nenhum sentido, porque revelam muito mais coisas do que deveriam, revelam forma feminina ao extremo, pele feminina ao extremo e partes do corpo ao extremo, como bumbum, seios e tudo o mais. Além disso, dispõe todas essas partes do corpo da mulher aos olhos de outras pessoas, especialmente de outros homens, e francamente, a única pessoa que tem o direto de olhar para o corpo de uma mulher (semi-nua ou nua) é o marido dela. Em outras palavras, praias, clubes, piscinas públicas também não são lugares adequados a uma mulher cristã que preza pela modéstia e pureza de seu corpo e sua alma, e da do próximo também, porque são lugares que conduzem à ocasiões próximas de pecados contra a pureza e a castidade, e isso vai contra os 6o. e 9o. mandamentos da lei de Deus: "não pecar contra a castidade" e "não cobiçar a mulher do próximo".

    O objetivo deste blog é falar sobre a pureza, a modéstia, a castidade, e coisas relacionadas a isso, incluindo matérias sobre roupas e vestimentas. Não é meu objetivo "instruir" as mulheres sobre a vaidade, nem sobre a futilidade, muito menos sobre a sensualidade.

    Sobre "moda íntima feminina para mulheres casadas", isso está fora de cogitação dos interesses deste blog. Cada mulher casada que agrade ao seu marido dentro daquilo que agrada a Deus, que não fira nem a modéstia nem a pureza, nem a castidade no matrimônio.

    Deus deu a mulher ao seu marido e vice-versa para que ambos se auxiliem mutuamente; para que cresçam juntos na Fé, no Amor, na Humildade; para que realizem, juntos, plenamente a Vontade de Deus desejando e aceitando os bens do matrimônio cristão; e para que caminhem juntos para o Céu. Eis o que deve ser buscado no Matrimônio: A Santidade.

    ResponderExcluir
  14. Sra. Bergonso,

    Amei o blog e já o adicionei à minha lista de favoritos.
    Comecei a usar roupas modestas há um ano e desde então tenho percebido a mudança de comportamento das pessoas comigo.Sou tratada com muito mais respeito e cavalheirismo.Hoje me sinto muito mais segura com as minhas roupas.

    Fique com Deus.
    Lucineia Santos.

    ResponderExcluir
  15. Olá, Lucinéia! Salve Maria!

    Fico muito feliz que tenha gostado do Blog!

    Sim, as pessoas ao nosso redor mudam o comportamento de acordo com o que vestimos, afinal, nossas roupas dizem quem somos. Não sei como ainda existem pessoas que não aceitam a modéstia como ela deve ser e ainda criticam quem tenta imitar a Santa Virgem nesta virtude! Mas com a Graça de Deus e ajuda de Nossa Senhora, vamos sempre em frente, sem medo e alegres por estarmos sempre buscando agradar cada vez mais Nosso Senhor no nosso modo de nos vestir!

    Que Nossa Senhora sempre lhe acompanhe!

    No Amor de Jesus e Maria,
    Melissa

    ResponderExcluir
  16. Prezada Melissa, vc respondeu à Aghata:
    "O objetivo deste blog é falar sobre a pureza, a modéstia, a castidade, e coisas relacionadas a isso, incluindo matérias sobre roupas e vestimentas. Não é meu objetivo "instruir" as mulheres sobre a vaidade, nem sobre a futilidade, muito menos sobre a sensualidade.

    Sobre "moda íntima feminina para mulheres casadas", isso está fora de cogitação dos interesses deste blog. Cada mulher casada que agrade ao seu marido dentro daquilo que agrada a Deus, que não fira nem a modéstia nem a pureza, nem a castidade no matrimônio.

    Deus deu a mulher ao seu marido e vice-versa para que ambos se auxiliem mutuamente; para que cresçam juntos na Fé, no Amor, na Humildade; para que realizem, juntos, plenamente a Vontade de Deus desejando e aceitando os bens do matrimônio cristão; e para que caminhem juntos para o Céu. Eis o que deve ser buscado no Matrimônio: A Santidade. "

    Só agora conheci seu blog, e já percebi como vc é grossa com as pessoas q vem aqui,vc é mto grosseira,não sabe responder adequadamente,q horror!!!
    Aghata só quis ajudar e elogiar, e ela junto a Ana,disse as palavras mais sábias de todos os comentários,enquanto vc fez questão de ser rude.Vcs da "modéstia" são todas iguais,são grossas, ficam querendo dar moral apelando!!!
    Tenho dó de vcs.

    ResponderExcluir
  17. Prezada Giselle, Salve Maria!

    Não sei porque você acha que fui grosseira, apenas fui direta. Não me enrolo para dizer algo, apenas digo.

    Quanto à Agatha, eu não lhe devo explicações, mas para que você não saia falando por aí coisas falsas e sem nexo eu lhe digo: há muito tempo que entrei em contato com ela e pedi desculpas se a ofendi com o que falei, porque essa realmente não foi minha intenção. Ela é uma pessoa boa e sincera e foi muito bom eu ter entrado em contato com ela, pois pude conhecer mais uma irmã em Cristo. Ela – não você – tinha o direito de não me responder e até de ser grossa comigo se quisesse, já que minha resposta foi tão direta ao ponto de ter sido talvez um pouco rude, porém ela, diferentemente de você, não me agrediu e, ao contrário, se mostrou muito amável e respondeu a todos os emails que já mandei para ela até hoje!

    Então, cara Giselle, antes de sair por aí falando, acusando, e delirando de raiva sobre coisas, assuntos e pessoas que você mal conhece, procure conhecê-las primeiro. A única pessoa rude e grosseira aqui foi você.

    Posso dizer a você que a Ana é minha amiga de longa data, e a Agatha tornou-se também.

    De qualquer forma, obrigada pelos “elogios”.

    Fique na Paz de Cristo e no Amor de Maria Santíssima.

    ResponderExcluir
  18. Giselle, vc é a mesma que posta no meu blogue? Se for, me manda um email, preciso falar com vc.

    ResponderExcluir
  19. kkkkkkkk Como vc é engraçada!!!Acaba de confirmar minha hipótese,parabéns e obrigada!!!
    Mas pode ficar bem calminha,q eu não volto mais aqui,achei seu blog mto chato.
    _________________________
    Ana,sou eu sim,mandarei e-mail.

    ResponderExcluir
  20. Olá, Giselle, Salve Maria.

    Que bom que você me acha engraçada, eu gosto mesmo de fazer as pessoas rirem!

    Se para você um gesto de caridade e humildade é piada, só posso pedir a Deus que lhe ilumine a mente e lhe abra o coração, pois esse seu sarcasmo estúpido não vem de Deus.

    Que Nossa Senhora interceda por ti.
    Em Cristo,
    Melissa

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    O que você acha das mulheres irem a praia?

    É certo usar biquini?

    E musculação, academis? usar calça leg, marcando?

    Mulheres bonitas devem se tapar mais que as feias que não chamam tanta atenção?

    E cortar o cabelo?

    depilar as axilas?
    e baton?

    maquiagem é decente? pode ser vermelho

    e pintar unha?

    mesmo ono calor tem q ser manga cmprida e saia até o calcanhar?

    Fique na paz!

    ResponderExcluir
  22. Olá, Arlene, Salve Maria!

    Olhando a deturpação do mundo de hoje e de como mal se vestem as mulheres, aquelas que querem salvaguardar seu corpo e sua pureza não devem ir à praia. Mulheres que querem conservar o recato e o pudor não devem usar esses trajes chamados de “roupas de banho”. Eles são trajes que ferem profundamente a modéstia, a pureza, o pudor e o recato, pois expõe o corpo feminino (e também o masculino) ao olhar alheio.

    Academia, se for por justo motivo e não somente por vaidade, penso que pode ser feita sob duas condições: desde que a academia seja exclusivamente feminina (com instrutora mulher) e desde que as roupas não firam a modéstia (pode-se usar uma saia e uma legging por baixo e uma blusa de malha com meia manga, sem decotes, cavas ou transparências).

    Qualquer tipo de roupa que marque o corpo e revele pele e formas não deve ser usada. Isso serve especialmente para calças, pois quase em sua totalidade as calças são imodestas e portanto não devem ser usadas, e também para saias curtas, e/ou justas e/ou coladas.

    Tanto mulheres consideradas feias ou bonitas devem velar seu corpo. Uma mulher considerada “feia” deve velar o corpo do mesmo modo que uma considerada “bonita”, e vice-versa. Devemos lembrar que nosso corpo é Templo do Espírito Santo, portanto, devemos buscar e prezar pela pureza e manter-nos sempre na graça de Deus.

    Cortar o cabelo é permitido. Eu particularmente penso que não é conveniente uma mulher ter cabelos excessivamente curtos, pois tira sua feminilidade e sua delicadeza; cortes curtíssimos são masculinos. A graça e a beleza da mulher reside primeiramente na harmonia de seu rosto, e cabelos longos são bastante femininos. Penso que é conveniente uma mulher manter seu cabelo no mínimo na altura dos ombros.

    Quanto à depilação, não há problema algum, pois depilar-se também é questão de higiene.

    A maquiagem deve ser sutil, algo apenas para realçar a beleza natural. Vermelho é uma cor que não é recomendada, pois chama muito a atenção. O melhor seria usar tons róseos ou terrosos, dependendo da cor da pele.

    Pintar a unha também é permitido. O ideal é usar cores claras, sóbrias, para não chamar muito a atenção.

    O ideal, em questão de roupas modestas, seria realmente usar mangas compridas, pois essa é a “perfeição da modéstia”. Mas penso que também é admissível usar mangas mais curtas, porém não menos do que na metade do braço. Os ombros devem ficar totalmente cobertos e as axilas não devem ser mostradas.

    As saias não necessariamente precisam estar no calcanhar, elas podem estar por exemplo, na metade da canela, mas não menos que um palmo abaixo do joelho. Uma saia modesta deve cobrir nossos joelhos quando estamos sentadas.

    Espero ter respondido todas as suas perguntas.

    Fica com Deus e obrigada pela visita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Maria!
      Melissa, muito obrigada por estas informações.
      Muito me auxiliaram.
      Deus lhe abençoe.

      Excluir
    2. Olá, Géssika, Salve Maria!

      De nada! Fico feliz que essas informações tenham lhe ajudado também!

      Fica com Deus!
      Amém!

      Excluir
  23. Salve Maria!
    Aqui me senti em casa! Como é bom saber que ainda existem mulheres que defendem a modéstia cristã!
    Deus seja louvado eternamente por esse rebanho fiel!

    ResponderExcluir
  24. Olá, Vivi! Salve Maria!

    Fico feliz que tenha se sentido em casa :D

    Obrigada pela visita! Volte sempre!

    ResponderExcluir
  25. Olá!!!
    Td bem Melissa!!
    Salve Maria!
    Eu glorifico a Deus por você nesse instante, que Deus seja louvado pela sua vida!
    Eu gostei muito da matéria, parbéns tah!
    Também me senti em casa como disse a Vivi.
    Mas gostaria de uma opinião sua se possível é claro. Sou uma mulher de Deus, e no momento ainda uso calça, e ultimamente tenho utilizado calças folgadas e dicretas, agora pretendo comprar apenas saias e vestidos. Como faço pra me desfazer dessas calças rapidamente, ou posso fazer isso num processo mais adaptável com o meu orçamento financeiro?

    Obrigada,
    Deus abençoe a tua vida!

    ResponderExcluir
  26. Olá, Salve Maria!

    Com relação à "troca de guarda-roupa", você pode fazer aos poucos, sem precisar gastar todo o salário do mês. Logicamente, quanto mais rápido você se desfizer das roupas ruins, melhor será. Mas Deus sabe que você quer mudar, então faça conforme seu orçamento lhe permita. Com três mudas de saias você já fica tranquila e tem roupa para vestir a semana toda. Com o tempo você vai comprando mais e variando seu armário.

    Depois que você abandonar o uso da calça comprida, não doe essas peças de roupa. Se essa vestimenta não é boa pra nosso uso também não será boa para o uso do próximo. Para não jogar fora, você pode desmanchá-las e utilizar o tecido para fazer almofadas (tecidos finos e delicados, que não sejam jeans) ou então para fazer aqueles enfeites de segurar portas cheios de areia (tecidos jeans, grossos e rústicos). Há também a possibilidade, para quem sabe trabalhar com tear, de fazer tapetes de retalhos, aí é só cortar as calças em tiras longas e finas, e trançá-las no tear. Enfim, há inúmeras possibilidades de "reciclar" as calças de forma a transformá-las em algo verdadeiramente útil, sem pesar no bolso nem na consciência!

    Fica com Deus e obrigada pela visita!!

    ResponderExcluir
  27. OBRIGADA PELA RESPOSTA MELISSA, FOI-ME MUITO ÚTIL.
    TENHO MAIS PERGUNTAS SE FOR POSSÍVEL RESPONDÊ-LAS!
    SÃO ESSAS:

    E QUANDO SE TRATA DE PRATICAR ESPORTES TIPO FUTSAL, FUTEBOL, VÔLEI E ETC. COMO FAZER, OU NÃO FAZÊ-LOS?

    QUANDO SE TRATA DE PRAIA NÃO SE DEVE IR DE JEITO NENHUM?

    QUEM TRABALHA EM RAPARTIÇÃO PÚBLICA DEVE USAR SAIA SOCIAL DE QUE TAMANHO?

    E O QUE A SENHORA ACHA SOBRE O USO DO SALTO ALTO? É CONVENIENTE PRA UMA MULHER DE DEUS?

    SALVE MARIA!!
    AGUARDO RESPOSTA.

    ResponderExcluir
  28. Olá, Salve Maria!

    Sobre praticar esportes tipo Futsal, Futebol, Vôlei, entre outros, não há uma "proibição" expressa. Porém, pelo menos em dois pontos básicos temos que pensar:

    1) O tipo de esporte que quero praticar respeita a delicadeza feminina?
    2) O tipo de esporte que quero praticar exige o uso de roupas imodestas?

    Se você respondeu não para a primeira pergunta e sim para a segunda, então temos um problema. Esportes que ferem ou desrespeitam a delicadeza feminina devem ser evitados. Esportes que se utilizam de roupas imodestas não devem ser praticados.

    “Que os pais mantenham suas filhas longe do público de jogos e competições de ginástica, mas se as suas filhas são obrigadas a freqüentar essas exposições, deixá-los ver que elas estejam totalmente e modestamente vestidas. Que eles nunca permitam que suas filhas usem trajes indecentes”. (Cardeal Sbaretti - Moda Indecente Feminina)

    “Não temos a intenção de pintar o triste retrato, apenas muito familiar, dos exageros que você percebe sobre si: vestidos que dificilmente são suficientes para cobrir a pessoa, ou outros que parecem concebidos para enfatizar aquilo que deveria esconder; esportes que são realizados com tais vestuários, tanto exibicionismo e em tais companhias que são irreconciliáveis até mesmo com o padrão menos exigente da modéstia; danças, filmes, peças teatrais, publicações, ilustrações, decoração a partir do qual o desejo louco de entretenimento e prazer produz graves perigos. Ao contrário, nós temos o desejo de trazer à mente mais uma vez os princípios cristãos que iluminem suas decisões nesses assuntos, seus passos e guia de conduta, e inspirem e sustentem sua guerra do espírito”. (Pio XII – Alocução às Garotas da Ação Católica – Cruzada pela Pureza)

    Com relação à praia, esse é um local extremamente complicado para um cristão freqüentar. Primeiramente pela quantidade de pessoas que andam semi-nuas, expondo seus corpos para “quem quiser ver”. Em segundo lugar, por causa dessa forma imodesta de vestimentas, as ocasiões de pecados contra a pureza são muito próximas. Todas as coisas que entram pelos nossos olhos ou podem nos maravilhar ou então manchar nossa alma. Na praia é muito fácil mancharmos a alma por causa dos trajes imodestos das pessoas que lá estão. Então, só por este ponto, é melhor não freqüentar praias e locais semelhantes.

    O comprimento ideal para uma saia (isso para qualquer mulher, em qualquer ambiente) é aquele que quando você se senta, seu joelho permanece coberto. Com 20cm (ou um palmo) abaixo do joelho você consegue uma saia modesta e que cumpra esse requisito de cobrir o joelho estando sentada.

    Sobre o salto alto, dependendo do tamanho do salto não há problema em usar. Um salto básico, de aproximadamente 5 cm é bonito, feminino e não chama a atenção, podendo ser usado tranquilamente. Saltos maiores eu já penso ser um pouco mais complicado de se usar e há quem defenda que são impróprios para quem quer guardar a modéstia, por mudar a postura corporal da mulher. Em todo caso, para evitar usar algo que comprometa a modéstia, é melhor recorrer a um salto médio (de 5 cm) que é discreto e deixa a mulher feminina sem correr o risco de deixá-la vulgar.

    Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  29. Bom dia!!
    Gostei muito do seu blog! Sou Católica e me preocupo muito em me vestir sempre decentemente também, além de sempre buscar sem obediente à nossa Santa Igreja. Mas, fiquei com algumas dúvidas. Minha intenção não é afrontá-la, pelo contrário, venho humildemente consultar seus conhecimentos sobre o assunto.
    Os textos da Igreja que vc cita sobre nossas roupas são antigos, pelo que vi o mais recente é de 1960. A Igreja não se pronunciou mais sobre este assunto, digo, mais recentemente? Porque dá a sensação de que o texto do Prefeito da Congregação do Concílio, Cardeal Donato Sbaretti não se refere à nossa realidade (tambem, pudera, foi escrito em 1930):

    “Um vestido não pode ser chamado decente se é cortado na largura de mais de dois dedos sob o poço da garganta, que não cubra os braços pelo menos até os cotovelos, e mal chegue até um pouco abaixo dos joelhos..."

    Eu concordo que uma Igreja atualizada, buscando atingir sempre o homem atual, caminhando com ele, não significa estar a favor das vulgaridades da moda atual, mas comparar as roupas de 1930 com as de hoje não seria estranho?
    Por que então a maioria dos padres não fala absolutamente nada quando uma noiva aparece para se casar com um "tomara que caia" e maquiagem forte? Seria covardia da parte deles por medo de perder fieis? Penso que sim.

    Será que Nossa Senhora num usa as roupas compridas porque era o costume da época em que viveu? Jesus também, em suas aparições, visões, não aparece de calças, mas com aquela mesma roupa das imagens (que parece um vestido, não sei o nome + o manto vermelho e tal), podemos confirmar isso naquela imagem de Jesus Misericordioso descrita por Santa Faustina em sua visão (veja em: http://www.jesus-misericordioso.com/zgromadzenie_ptbra.htm).

    Vejo muitos membros Católicos criticarem ferozmente a doutrina da Congregação Cristã do Brasil por causa das roupas femininas, porém o que seu blog nos orienta é se vestir exatamente igual. É como se estivessemos falando de duas igrejas completamente opostas, entende?

    Bom, espero que vc possa me ajudar com essas questões. Obrigada pela oportunidade de nos orientarmos sobre este assunto tão importante.
    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  30. Olá, Karen, Salve Maria!

    Mesmo que não tenha havido nos últimos anos algum pronunciamento oficial da Igreja sobre a modéstia cristã no vestir, as pessoas não deveriam achar que simplesmente a Igreja mudou seus ensinamentos acerca disso. Este assunto [sobre a modéstia cristã no vestir] foi muito bem tratado pelo Papa Pio XII, de forma que tudo o que ele disse ainda continua atual. Na página Textos Importantes você pode encontrar algumas alocuções de Pio XII sobre a moda, o vestuário e a modéstia feminina.

    As regras ditadas pelo Cardeal Sbaretti são totalmente conciliáveis com as roupas de nosso século e não são obsoletas. Uma mulher deveria guiar-se pelo exemplo de Maria Santíssima para compor suas roupas, e as regras ditas pelo Cardeal Sbaretti são espelhadas nas vestes da Puríssima Virgem. Essas regras servem de guia para que a mulher cubra o seu corpo, respeitando a decência e o pudor, seja para na época passada, esta atual ou qualquer outra futura.

    Se hoje os sacerdotes não corrigem a forma de suas paroquianas se vestirem, isso acontece por pura negligência e respeito humano. O “medo de perder fiéis” é apenas uma desculpa para não ensinarem as pessoas acerca daquilo que agrada ou desagrada a Deus, daquilo que leva ou não à perdição das almas. Infelizmente, essa situação é lastimável, e é por isso que devemos rezar, e muito, para que Deus nos conceda santos sacerdotes.

    Meu blog não orienta as mulheres a se vestirem como protestantes; meu blog orienta as mulheres a se vestirem como Maria Santíssima, imitando Suas virtudes, Sua pureza, Seu pudor, Seu recato. Quanto mais próxima nossas roupas estiverem das roupas de Maria Santíssima, tanto mais perfeita é a nossa modéstia no vestir. E é neste sentido o que nos orientam também as regras ditas pelo Cardeal Sbaretti. As filhas de Maria devem ser parecidas com sua Mãe. Uma criança não gosta de se vestir como sua a mãe se veste, seja usando seus sapatos ou até mesmo seus batons? Pois bem, uma católica que verdadeiramente ama Nossa Senhora e busca assemelhar-se a Ela vai buscar a mesma pureza, pudor e recado que a Virgem Maria, Mãe de Deus, possui.

    Serei bem sincera aqui, os “católicos” que criticam a o apostolado em favor da modéstia cristã alicerçada no exemplo de Maria Santíssima são, na minha opinião, no mínimo ignorantes, isto quando não desonestos intelectualmente. Se não procurarmos imitar com zelo e amor o excelso exemplo de modéstia de Nossa Senhora, indubitavelmente seguiremos a moda [imposta] mundana, e a partir do momento que quisermos nos adequar ao mundo [ou seguir suas tendências e suas excentricidades] fatalmente desagradaremos sobremaneira a Deus.

    Algo que gosto de lembrar sempre é um dos versos da música A Treze de Maio: “Vesti com modéstia, com muito pudor. Olhai como veste a Mãe do Senhor”. Quem se veste procurando imitar a modéstia e o pudor da Santíssima Virgem estará dando verdadeiro testemunho da modéstia cristã no vestir e, com certeza, agradando mais a Deus.

    Fico feliz que tenha gostado do Blog Mulher Católica.

    Espero ter respondido suas perguntas. Caso tenha faltado algo, não hesite em perguntar novamente!

    Obrigada pela visita e volte sempre! Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  31. A paz do Senhor! Quero lhe agradecer pela resposta! Hoje o pe. Paulo Ricardo postou no site dele um vídeo falando exatamente sobre este assunto, com base no Catecismo da Igreja Católica. Gostaria muito que vc assistisse porque vai complementar muito seu argumento sobre a modestia no vestir. Que Deus continue abençoando vc!
    http://padrepauloricardo.org/audio/31-parresia-pudor-e-modestia/

    ResponderExcluir
  32. Olá, Karen, Salve Maria!

    Obrigada pelo vídeo.

    Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  33. 2. Acerca dos sacerdotes que não corrigem o modo de vestir das mulheres:

    Foi comentado que os padres estariam evitando falar sobre o modo de vestir das mulheres por "medo de perder fiéis", mas pelo menos para mim, isso não existe.

    Sempre há algum sermão em que os padres falam sobre a modéstia, ainda que não seja dada grande ênfase ao tema.

    Se houvesse fidelidade por parte de quem assiste à missa, aqueles poucos minutos falados, em uma ou outra missa, à respeito da modéstia, seriam suficientes para fazer as pessoas refletirem e dizerem não à moda do mundo.

    Por outro lado, há na sociedade a idéia de que a "maldade está nos olhos de quem vê". Então se o sacerdote prolonga-se demasiadamente falando acerca do vestuário feminino, corre o risco de ser mal interpretado, pois por causa da inversão de valores, ele fica na posição do "malicioso" da história.

    Além disso, o homem que defende a modéstia feminina normalmente é visto como opressor e machista.

    Como a burca não permite que seja mostrado nem olhos, nem mãos e nem pés, quem defende a moda logo começa a usar esta vestimenta como odioso e desonesto argumento para combater quem defende a modéstia, e, se este for homem, a visão negativa é bastante agravada.

    Se Maria Santíssima é o exemplo de mulher perfeita e ela sempre mostra seu rosto, mãos e pés, qualquer coisa que tente superar essa modéstia, será falsa e não dignificará a mulher, mas fará o oposto, pois colocará a mulher como uma espécie de monstro que deve ser opressivamente "evitado".

    Não é preciso pensar muito para perceber que a burca não é a realidade de quem defende a modéstia em ambiente Católico, mas, infelizmente as feministas e quem defende a moda sempre se utilizará deste argumento para oprimir qualquer homem que discorde do modo como elas desejam se vestir.

    Outro problema que pode vir a pesar para os sacerdotes não falarem tanto a respeito da modéstia é que, para saberem como as paroquianas estão se vestindo, eles precisam observá-las, e como as roupas são cada vez mais curtas até mesmo na Igreja, esta simples ação poderia se tornar uma ocasião de pecado.

    A situação do homem que busca ser fiel à Deus é constrangedora dessa parte, porque para saber falar sobre o tema, precisa observar e conhecer o que ele quer evitar até mesmo de olhar.

    Sendo assim, acredito que os padres fazem o melhor que podem nos sermões, sendo sucintos acerca deste tema, cabendo aos fiéis serem realmente fiéis, sendo capazes de escutar pouco, mas escutar bem.

    Paralelamente a isto, vejo a participação e colaboração das mulheres em defesa da modéstia como essencial: primeiro porque a observação de uma mulher à vestimenta de outra não ocasiona em uma situação de pecado; e segundo porque se é a mulher quem assume a modéstia de modo convicto, ela acaba defendendo aos homens que por fidelidade a Deus e respeito às mulheres, desejam vê-las vestidas modestamente, e assim, não precisam ser expostos e julgados como machistas e opressores.

    É por isso que além de parabenizar-te pelo blog, também desejo agradecer-te. Obrigado!

    Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  34. Olá, Wendel, Salve Maria!

    Não publiquei seu primeiro comentário por causa do link que você citou. Infelizmente, a imagem colocada naquela pesquisa é bastante imodesta e achei por bem não indicar o link aqui no blog.

    Com relação aos sacerdotes falarem sobre modéstia, infelizmente é muito mais comum não dizerem nada do que dizerem. Não me lembro de ter escutado de algum sacerdote, em algum sermão, sobre a modéstia. E também penso que é impossível que os sacerdotes não percebam as roupas ruins e imodestas das suas paroquianas. Enfim, penso que se eles corrigissem de fato as pessoas que não estão se vestindo adequadamente, não haveria tantas mulheres e homens católicos vestidos tão impudicamente hoje em dia. E correção que digo não é apenas falar no sermão, é chegar na pessoa e dizer: “você não está se vestindo dignamente”, e explicar o porquê. Por que é que quando Pe. Pio estava vivo as pessoas mudavam de vida? Porque ele apontava o erro na cara da pessoa, sem medo de ofendê-la e sem nenhum respeito humano. E o que ele conseguiu com isso? Muitas almas para Deus! Infelizmente, hoje tem-se medo de ofender os outros, mas não se tem medo de ofender a Deus, e por causa disso, muitas almas vão para o inferno.

    Fico feliz que tenha gostado do meu blog.

    Fica com Deus e obrigada pela visita!

    ResponderExcluir
  35. Olá, Melissa!

    Eu também acredito que seja mais comum que os padres não falem a respeito da modéstia.

    Entretanto, há algumas passagens bíblicas, a exemplo de Mt 5, 27-28, em que temas como castidade, modéstia e pureza são normalmente tratados nos sermões.

    Não há um aprofundamento real acerca do tema da modéstia e muitas vezes sequer escutamos esta palavra. Porém, sempre há espaço para alguns comentários a respeito da vestimenta feminina.

    Estes poucos minutos do sermão de uma ou outra missa, já deveria ser o suficiente se houvesse real fidelidade e desejo em agradar a Deus.

    A tarefa de ir pessoalmente corrigir as pessoas que se vestem indignamente é muito complicada, uma vez que, atualmente, a regra é a imodéstia.

    É por isso que fico tão feliz com a existência de blogs como o seu, pois eles têm a capacidade de falar a milhares de pessoas em longo prazo!

    Já a respeito do post que eu escrevi, mas que não foi publicado, acredito que você tenha tomado a atitude correta.

    Não era necessário nem o link e nem o longo post para demonstrar minha radical oposição ao uso do salto alto, já que poderia ter resumido tudo na única frase: "Maria nunca usaria salto alto".

    Que Deus te abençoe e te cubra de graças para que você possa manter o belo trabalho que tem realizado no seu blog! Abraço!

    ResponderExcluir
  36. queria fazer algumas perguntas:
    1.no meu colegio tem educaçao fisica por isso preciso usar roupas coladas pois as folgadas tambem mostram oque nao deveria,entao como deve ser minha roupa?
    2.gosto muito de praia e apesar de evtar ao maximo por causa de nao me sentir bem de biquini,nao exite um jeito de eu tomar banho adequadamente?
    3.faço parte de grupo de oração,e quando temos lazer do grupo não me é adquado usar saias posso se eu usar shorts que cubram o joelho com blusas compridas e folgadas estou ferindo minha modéstia?

    ResponderExcluir
  37. estava em duvida sobre se era imodesto o uso de calças,então lembrei que na biblia fala que a mulher não deve se vestir de homem nem o o homem de mulher.quando a mulher usa vestido curto ou roupa decotada está desrespeitando a Deus por ser imodesta,mas quando usa calças está desrespeitando a Deus por usar roupa de homem.

    ResponderExcluir
  38. Olá, Monalisa, Salve Maria!

    1) Na realidade, não entendi sua colocação sobre as roupas folgadas mostrarem o que não deveriam, pois as roupas folgadas justamente escondem nossa forma, a menos que o tecido utilizado para sua confecção seja muito fino ou transparente. Em todo caso, para as aulas de educação física, procure usar roupas que não sejam justas, nem decotadas, nem transparentes, que não exponham seu corpo nem marquem suas formas.

    2) O biquíni é algo que jamais deveria ser usado por uma mulher católica, seja em público ou em família. Para quem quer guardar a pureza, é muito complicado frequentar a praia, pois este local propicia muitas ocasiões de pecado, uma vez que as pessoas andam seminuas, tanto homens quanto mulheres, mostrando seus corpos sem pudor algum. A modéstia dos olhos também é fundamental para mantermos a virtude da pureza. Para entender melhor sobre isso, leia Da Modéstia dos Olhos, do Tratado da Castidade de Santo Afonso. Também há um texto muito bom, escrito por um padre tradicional, sobre praias e piscinas. Eu poderia colar algumas partes do texto aqui, mas ele merece ser lido integralmente. Recomendo a leitura, pois é muito esclarecedor, creio que vai lhe ajudar.
    PRAIAS E PISCINAS, Por Pe. Ricardo Félix Olmedo

    3) Que tipo de lazer há no seu grupo de oração? Um grupo de oração não deveria proporcionar situações em que a mulher não pudesse se vestir modestamente. Isto é um contrassenso. Você pode me dizer que tipo de atividades vocês fazem?

    4) Sobre o uso das calças compridas, elas não ferem somente a Deus por serem “roupas de homem”, mas também pela ideologia que elas carregam. Além de essas peças exporem o contorno do corpo feminino, isso quando não marcam a roupa íntima, o mal que elas causam é ideológico, especialmente acerca da igualdade de gêneros. Sobre a ideologia por detrás das calças compridas, aconselho que você leia o seguinte texto:
    Notificação concernente às mulheres que vestem roupas de homem

    Fica com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ATUALIZAÇÃO DE LINK: O texto "PRAIAS E PISCINAS", do Pe. Ricardo Félix Olmedo, pode ser lido neste link.

      Excluir
  39. 1.é que eu não me sinto á vontade com shorts folgados porque podem mostrar a roupa intima.então estou optando por folgados mas compridos,assim me sinto mais á vontade.
    2.no meu grupo eles aconselham as mulheres a não usarem biquínis,mas exitem atividades como escalada,então eu deixo de participar ou faço de saia?
    Queria também dizer que gosto muito do blog e que já comecei a abandonar calças,e a comprar vestidos modestos, me sinto mais confortável e feminina.

    ResponderExcluir
  40. Oi, Monalisa, Salve Maria!

    1. Nunca use, para fazer educação física, roupas curtas, que exponham seu corpo, ou que marquem suas formas.
    2. Escalada não é atividade para meninas. Fazer escalada de saia é inviável. Meu conselho é para que você evite este tipo de atividade.
    “Que os pais mantenham suas filhas longe do público de jogos e competições de ginástica, mas se as suas filhas são obrigadas a frequentar essas exposições, deixá-los ver que elas estejam totalmente e modestamente vestidas. Que eles nunca permitam que suas filhas usem trajes indecentes”. (Cardeal Sbaretti - Moda Indecente Feminina)

    Sobre sua última questão,
    Eu discordo totalmente do que a autora do blog, cujo link você questionou, escreve. Em primeiro lugar, a modéstia católica é o oposto da sensualidade e sexualização feminina, não somente uma diminuição destas coisas. Não se pode dizer que a permissão para determinados trajes imodestos se dá por causa da cultura ou do ambiente. Isto é relativizar a moral católica e distorcer o conceito de modéstia. As partes desonestas do corpo não devem ficar à mostra, e não existe nenhuma justificação para isso, pois a moral católica não muda com o tempo nem em função do ambiente frequentado.

    Sobre as lojas e sites que são indicados no post desse blog como sendo "especializados em modéstia", eu também não indico. Nossa Senhora em Fátima foi muito clara quando disse que "haveriam de vir muitas modas que ofenderiam muito a Nosso Senhor". Tentar camuflar a imodéstia de uma peça de roupa com uma outra (como usar uma blusa ou túnica por cima de uma legging para cobrir o bumbum ou esconder parte das coxas) é tão inútil quanto "tapar o sol com a peneira". São Pio de Pietrelcina era muito claro com relação à modéstia feminina, e ele fazia bem em indicar o comprimento das saias e blusas, pois assim as pessoas tinham um parâmetro real de medida, que não as deixava em dúvida. Padre Pio também não confessava mulheres que estivessem usando calças compridas certamente porque ele sabia que isso ofendia a Deus. Se assim não fosse, ele nem se importaria com esse tipo de vestimenta. No texto Padre Pio e a Modéstia você pode ler mais sobre isso.

    O caminho da modéstia cristã no vestir é bastante difícil, porque a gente se vê obrigado a renunciar a muitos hábitos e costumes que estão enraizados em nossa sociedade e que a maioria das pessoas acham normais, porque se acostumaram com isso no mundo moderno. Mas a modernidade não é parâmetro para distorcer conceitos nem relativizar valores. Tudo o que Pio XII, o Cardeal Siri e o Cardeal Sbaretti ensinaram a cerca da modéstia cristã feminina ainda continua valendo até hoje. A moral não muda com o tempo nem em função de uma cultura. É isso o que as pessoas devem aprender e ter em mente.

    Fico feliz que goste do blog. Que Nossa Senhora lhe ajude nesta sua nova caminhada! :D

    Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  41. Ah, Monalisa, apenas para não criar polêmica nem confusão, retirei o comentário que continha o link do blog que você me questionou. Fica com Deus!

    ResponderExcluir
  42. Prezado Sr. Dezidério, Salve Maria!

    Como sua pergunta trata de algo íntimo, e como não convém abordar este tipo de assunto publicamente, não publicarei seu comentário. Sugiro que o senhor procure um sacerdote douto, piedoso e prudente para responder devidamente à sua pergunta.

    Fica com Deus.

    ResponderExcluir
  43. Olá :)
    Gostei mto do seu blog, concordo com quase tudo por aqui.
    É triste ver, dentro da igreja, as garotas de saia curta ou shorts, ou aquelas blusas beeeeeem decotadas. já ouvi mta besteira por usar saias(mas não uso sempre)e por não usar blusas decotadas.
    Parece que as próprias garotas cristãs não sabem o seu valor e pensam que devem expor seus corpos assim como as garotas do mundo;
    Como ainda estou na escola (tenho 17 anos) ouço muita bobagem por ser evangélica...
    Mas graças a Deus nós sabemos que não pertencemos a este mundo, e o nosso papel aqui é mostrar a glória de Deus através das nossas vidas, inclusive através da maneira como nos vestimos!
    Amei o blog, fica com Deus. Bjinhoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Tatiane, Salve Maria!

      As mulheres de hoje, mesmo muitas das que se dizem cristãs, não compreendem seu valor porque não reconhecem mais a grandeza de Maria Santíssima. Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, nos deu Sua Santíssima Mãe aos pés da cruz não para que Ela assumisse somente uma posição figurativa para a humanidade, mas para que Ela, como Mãe, nos guiasse, protegesse e ensinasse, assim como fez com Ele próprio quando criança.

      A nós, mulheres, o exemplo de Maria é imprescindível: toda filha gosta de se espelhar em sua mãe e quanto mais nós não devemos nos espelhar em nossa Mãe do Céu? Como boas filhas, deveríamos tomá-la por modelo e exemplo em todas as coisas, especialmente no modo de falar, portar-se, agir e vestir-se.

      Se as mulheres cristãs reconhecessem a grandeza de Maria Santíssima, tentariam imitá-la, e por imitar Aquela que agradou sobremaneira a Deus, com certeza se afastariam daquilo que desagrada a Nosso Senhor e que fere Seu Sacratíssimo Coração, especialmente com relação às modas indecentes e aos pecados da carne.

      Fico feliz que tenha gostado do blog!

      Fica com Deus!
      Obrigada pela visita e volte sempre!

      Excluir
  44. E sobre pintar os cabelos? Tenho o cabelo loiro escuro e gosto de fazer umas mechas para clarear um poquinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michele, Salve Maria!

      Se as mechas que você diz é tipo reflexo, eu não vejo problemas em você fazê-las, pois tingir o cabelo, em si, não é proibido. O que é desaconselhável é pintar os cabelos de forma que eles fiquem chamativos, como mechas coloridas ou mesmo mechas muito "definidas" (como, por exemplo, com 3 centímetros de espessura, de modo que são plenamente distinguíveis do resto do cabelo), que chamem demais a atenção por parecerem anti-naturais.

      Fica com Deus!

      Excluir
  45. Por favor, gostaria de um conselho. Meus pais marcaram uma viagem para praia agora em outubro. Terei que ir de qualquer jeito. Eu devo ficar no "flat" ou posso ir modestamente á praia, de preferência a uma pouco frequentada?
    Salve Maria!
    Gustavo (14 anos)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Gustavo, Salve Maria!

      O Artigo 499 do I Sínodo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, realizado em 1949, diz que:

      "A frequência a praias ou piscinas públicas não pode deixar de ser veementemente condenada como atentatória à moral, salvo quando houver a possibilidade de conciliar-se:

      a) lugar discreto, ou hora não frequentada indistintamente;
      b) traje decente;
      c) companhia escolhida, e nunca mista"


      Porém, como seu caso é particular, eu o aconselho a conversar sobre sua situação com um sacerdote douto e piedoso. Ele poderá lhe aconselhar melhor.

      Fica com Deus!

      Excluir
  46. Olá Melissa,

    Gostaria de saber se dentro de casa posso usar roupas que não são modestas. A modéstia no vestir é uma questão de respeito apenas para com o próximo, no sentido de não pecar contra a castidade e adultério?

    Pergunto pois tenho receio de estar desrespeitando ao Senhor usando roupas imodestas (regata, saia acima do joelho, etc).

    Obrigada
    Fica com Deus

    Angela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ângela, Salve Maria!

      Eu não aconselho a você usar roupas que não são modestas dentro de sua casa, pois algumas situações imprevistas podem acontecer como uma visita inesperada ou mesmo outro tipo de situação na qual você precise sair de casa rapidamente. Se você é solteira, não convém usar roupas imodestas na frente de seus pais e irmãos. Se você tem filhos, não convém usar roupas imodestas na frente das crianças, pois isto legitima a forma ruim de vestir-se e seus filhos podem crescer achando que isto é “normal”, e aí não vai adiantar explicar mais tarde sobre a modéstia cristã para eles se você não der o primeiro exemplo. Portanto, eu aconselho a você evitar tudo o que possa lhe servir de constrangimento ou de inconveniência, mesmo dentro de sua casa.

      A modéstia no vestir tem a ver com o recato, com o pudor, e, além de nos proteger contra os olhares alheios e as ocasiões de pecado, também é uma caridade para com o próximo. Se em casa a gente acostuma a não se vestir modestamente, fora de casa vai ser complicado, será sempre um dualismo no vestir. Portanto, é importante que o que se mantém fora de casa se mantenha dentro também.

      Espero ter lhe ajudado!

      Fica com Deus!

      Excluir
    2. Olá, Melissa, Salve Maria!

      Muito obrigada pela resposta, foi com certeza muito esclarecedora.

      Parabéns pelo seu blog, ele vem me inspirando a cada postagem!

      Deus abençoe você e sua família.

      Fica com Deus!

      Angela

      Excluir
    3. De nada, Ângela!
      Obrigada!!
      Amém! Deus abençoe a você e sua família também!
      Fica com Deus! Salve Maria!!

      Excluir
  47. Adrei o blog, só não concordo que "mulheres católicas não seguem moda". podemos seguir sim, com as devidas restrições mas é claro que podemos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Suehellen! Fico feliz que tenha gostado do blog!

      Acho que você não compreendeu o que eu disse no artigo. O que eu quis dizer sobre não seguir as modas foi com relação às modas do mundo, que são vulgares e indecentes. É óbvio que alguns elementos de tendência podemos usar, como cores, tipos de tecido, acessórios, porém, desde que eles não firam o pudor nem a modéstia cristã. Diz Pio XII que:

      "Aquilo que Deus pede é recordar sempre que a moda não é, nem pode ser a regra suprema da conduta; que acima da moda e de suas exigências existem leis mais altas e imperiosas, princípios superiores e imutáveis, que em nenhum caso podem ser sacrificados ao talante do prazer ou do capricho, e diante dos quais o ídolo da moda deve saber inclinar a sua fugaz onipotência. Esses princípios foram proclamados por Deus, pela Igreja, pelos santos e pelas santas, pela razão e pela moral cristãs, assinalados limites, além dos quais não florescem lírios e rosas, nem pairam nuvens de perfumes da pureza, da modéstia, do decoro e da honra feminina, mas aspira-se e domina um ar malsão de leviandade, de linguagem dúbia, de vaidade audaz, de vanglória, não menos de espírito que de traje." (Pio XII. Alocução sobre a Cruzada pela Pureza).

      Através das palavras de Pio XII podemos concluir que a moda deve assumir somente o papel de serva da virtude da modéstia. Quando este papel se inverte, ou seja, quando a moda usurpa o lugar da modéstia, ocorre uma corrupção da moral e dos bons costumes, pois as pessoas passam a não buscar mais as virtudes cristãs, mas os próprios caprichos, vaidades e deleites.

      Espero que tenha ficado claro :)

      Fica com Deus! Salve Maria!

      Excluir
  48. Oi Mel, O ETERNO DEUS te abençoe em extremo pelo Santíssimo Nome de Jesus Cristo. É a primeira vez que visito seu blog e simplesmente admiro sua fidelidade e devoção a Ele. Eu acho que, também, através das vestes se nota quando uma mulher realmente é comprometida com DEUS. Amei os artigos sobre esse assunto. = )

    Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marina!
      Amém!

      Fico feliz que tenha gostado do meu blog e dos meus artigos!

      Com certeza podemos dizer as vestes mostram um pouco de nós. A roupa de um cristão deve ser capaz de nos fazer lembrar que servimos a Deus e que somos Templo Santo de dEle!

      Obrigada pela visita e volte sempre!!

      Fica com Deus!
      Salve Maria Imaculada!!

      Excluir

Olá, seja bem-vindo(a)! Este blog é moderado. Por questões de ordem prática e também porque meu tempo é precioso, não publicarei comentários ofensivos à minha pessoa, nem a qualquer outra. Se porventura você comentou educadamente e seu comentário não foi publicado, provavelmente ele se enquadrou em alguma das restrições da Política de Comentários deste blog. Leia-o com atenção antes de comentar. Obrigada pela compreensão. Salve Maria!